Páginas

Re-Descobrir
Re-Nascer
Re-Conhecer

E é em busca destes Re's que sigo desde que me tornei mãe e aprendi que para estar junto não é preciso estar perto, mas sim dentro do coração.

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Estenda suas mãos...

Outro dia fiz uma postagem no facebook sobre aquele vídeo de um carro arrancando e deixando uma criança gritando do lado de fora.

Quando assisti ao vídeo, confesso me meu coração sangrou e meus olhos marejaram. Confesso que na hora, por segundos eu pensei: Meu Deus! Como uma mãe pode fazer isso com seu próprio filho? Mas assim que o vídeo terminou e eu coloquei novamente para assistir, comecei a questionar algumas coisas e levantar hipóteses que vou expor, para quem sabe debatermos sobre:

1) O que estava passando pela cabeça da mãe para fazer aquilo com  criança?

2) Porque a pessoa ficou filmando escondido e não foi interferir? Porque fazer escondido pelo vão da janela? (Confesso que não entendo como alguém pode parar para filmar algo desse tipo e não tem a atitude de ajudar, mas enfim...)

3)Será que aquele carro não estava sendo roubado, os bandidos deixaram a criança na rua e levaram a mãe? (Isso justificaria o desespero da criança e os arranques curtos do carro)

4) Será que a mãe estava em seu estado natural de sanidade ou estava tendo algum tipo de surto ou coisa do tipo? (Depressão, surto psicótico, ou algo relacionado)

5) A mãe simplesmente quis castigar a menina por algum motivo e teve a infeliz ideia de deixa-la para trás, porque não? Mães também erram.


Enfim, existem tantas possibilidades! Existem tantas formas de enxergar uma situação, tudo dependo do ângulo que se vê e neste caso específico, estávamos olhando aparentemente de forma escondida pelo vão da janela.

Agora vamos lá!
Eu Roberta, no momento que escrevo este texto, teria coragem de abandonar um de minhas filhas do lado de fora do carro? NÃO! Mas isso, eu estou falando por mim! Hoje e agora! Será que em uma situação com altos índice de stress eu faria? NÃO SEI! E não adianta me olhar torto por isso não viu? Já parou pra pensar em quantos casos de assassinato vemos por ai em que as pessoas dizem não acreditar que o assassino tenha feito isso??? Sabe por que? Porque somos capazes de coisas que até mesmo nós desconhecemos! Somos humanos!

O que me deixou muito assustada diate deste episódio, nos compartilhamentos e nos cometários da minha pagina foi o seguinte: 

As pessoas não olhavam para a situação por outros ângulos, somente escondido pelo vão da janela. Na verdade, elas nem tentavam olhar, afinal é mais fácil apontar o dedo e julgar ao invés de estender as mãos e ajudar! 
Sem perceber, pessoas boas e que jamais teriam coragem de "abandonar seus filhos" como aquela mulher fez, disseminavam o ódio e desejavam a morte daquela mãe e algumas pessoas ainda diziam que ela deveria morrer da forma mais cruel e mais, li comentários de pessoas desejando que ela "queimasse no inferno"! Gente!!! Parem! Então vocês não tem coragem de deixar a criança para o lado de fora do carro, mas desejam a morte de uma pessoa? Vocês realmente acham que esse sentimento esta correto? Então vocês cristãos (pois para desejar que ela quime no fogo do inferno você acredita em Deus e no Diabo) desejam a ela a pior penitência que podemos receber, sem ao menos dar a ela o direito de se explicar? E o amor que Deus fala? E o perdão? E a compaixão ao próximo fica onde? Desejar matar alguém agrada o coração de Deus?

Cada dia mais, principalmente nas redes sociais, disseminamos o ódio sem ao menos perceber! Destruímos vidas apontando nossos dedos "puros", ao invés de estender nossas mãos impuras e calejadas para ajudar o outro. Ninguém esta livre de erros. Não estou dizendo que a atitude dela foi certa ou errada, somente que devemos prestar mais atenção as nossas e fazer realmente a diferença que queremos ver no mundo. 



Mais amor, por favor!

E você? Tem um poto de vista diferente do meu? Compartilhe comigo e vamos conversar 
á e com respeito!


Até mais.

Roberta Marques
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir"


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

sobre os tombos que a vida me deu...

Este final de ano foi bem pesado!

Perdi o bebê em outubro, meu avô em novembro e minha vó em dezembro! Foi punk!

Sempre tive uma ligação muito forte com meu avô. Eu sempre dizia que se minha vó não tivesse chegado primeiro, teria me casado com ele rs

Meu vô tinha uma sabedoria incrível, era um inventor nato! Com a pouca escolaridade que tinha, era PHD formado pela escola da vida. Quanta falta ele faz...

Minha vó era daquele tipo que você ligava e dizia: Vó, posso almoçar ai? E em meia hora ela fazia um banquete que nem em uma semana eu conseguiria fazer.
Me ligava todos os dias e me falava as mesmas coisas... mas eu gostava sabe? Confesso que as vezes ficava irritada, pois se ela não conseguisse falar na hora, sair ligando pra todo mundo querendo saber de mim e "das menininhas" como ela dizia rs

Ah meus velhinhos... que falta eu sinto de vocês! 
Sorte da Olívia ter os Bisavós por perto... sorte!

Agora tenho minha vó por parte de mãe aqui conosco e domingo agora vamos fazer um ensaio fotográfico com ela. Estou bem animada! Acho que será um momento lindo e com recordações incríveis <3

Pois é pessoas, por aqui vou me recuperando dos tombos que a vida me deu e agradecendo por todas oportunidades que ela me dá!

Beijocas,


Roberta Marques
"nosso amor é como o vento: não posso ver, não posso tocar, mas posso sentir"